Reencarnação

John Demey (1859-1952) – filósofo e pedagogo norte americano, mostrou que a educação existe em função da morte. Se não morrêssemos não precisaríamos desse processo de vez que a cultura não sofreria solução de continuidade. Nos esclarece o Prof. José Herculano Pires e ainda acrescenta: Se Demey tivesse a visão espírita de René Hubert acrescentaria que a educação existe em função da reencarnação. O que nos é fácil compreender, mesmo porque, segundo o codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec, o objetivo do Espiritismo é educar o homem para viver a sua imortalidade, tendo por base o Cristianismo primitivo e as imutáveis leis naturais.

         A reencarnação, segundo a Doutrina Espírita, é a chave que abre os horizontes ao conhecimento. Liga-se à todas as demais leis da natureza: Progresso, Causa e Efeito, etc… Às pessoas materialistas, por serem ainda muito apegadas à matéria, tudo isto pode parecer absurdo e surrealista.

         Mas não é. Por ser a reencarnação uma lei natural, pode ser comprovada pelo método científico, como já o foi inúmeras vezes pela equipe do Prof. J. Rhine e Louise Rhine, nos Estados Unidos, e por muitos outros eminentes e conhecidos cientistas. Na verdade não se deveria estranhar a questão da reencarnação. No Novo Testamento e no Evangelho segundo o Espiritismo, assim como em inúmeras obras filosóficas e religiosas de todos os tempos, encontramos referências respeitáveis. Nossa própria maneira de viver revela que não vivemos somente em função da matéria.

         Ensina-nos J. Herculano:

         “Não vivemos organicamente mas de maneira psicológica. Vivemos de aspirações, de interpretações da realidade, de sonhos e muitas vezes de ilusões. São nossos pensamentos e sentimentos, nossas emoções e nossos desejos que determinam o nosso comportamento”.

         De onde vem tudo isto, se já não tivéssemos vivido antes? Se os seres demonstram tantas diferenças psicológicas, onde as adquiriram? Até nos bebês notamos essas diferenças. Encontramos, às vezes, pessoas curiosas sobre o assunto, no sentido de saberem o que ou quem foram em outras encarnações. É muito fácil saber e qualquer um pode responder à si mesmo, pois basta observar as próprias tendências, inclinações, preferências. A busca desse conhecimento dever ser para dentro de si mesmo, auto conhecendo-se.

         O homem reencarna para evoluir. Ninguém nasce para ser herói ou bandido, feio ou bonito, rico ou pobre. A questão da reencarnação é muito séria, para ficar feito bola de “ping-pong” das vaidades humanas. A reencarnação é oportunidade bendita de busca de conhecimento, equilíbrio, espiritualização, educação.

         Deus dá oportunidade a todos, numa programação plena de amor e misericórdia pelas faltas inúmeras que o homem comete “não porque seja mau, mas por ser ignorante”, afirma o Mestre Jesus.

 

 Helena Delphino Bragatto

Núcleo Kardecista Paz, Amor e Fraternidade

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta