Os Problemas da Existência

Quem não tem problemas no dia-a-dia? Não tê-los já é um problema, dizem alguns. Probleminhas todos “tiram de letra”; problemas já são coisas mais sérias; problemão, “ai, socorro, que ninguém é de ferro” é o que se ouve por aí.

         A Doutrina Espírita nos esclarece que os problemas, realmente o são, dependendo do ponto de vista. Há problemas naturais, aos quais todos estão sujeitos. Há problemas criados com a própria mente e distantes da realidade. Como os há de todos os tamanhos e tipos, desafiando a inteligência, a dignidade, a saúde, etc… De modo geral, problemas são também colheita do que se plantou nesta ou em outras etapas de existências. É lei de causa e efeito. Jesus nos ensina a prestar atenção nas partes boas que todas as questões possuem, ainda que seja para adquirir experiência. Seja como for ninguém gosta de Ter problemas. É preciso considerar que a lei de progresso, de evolução, não permite que haja algo estático na natureza, pois esta apresenta-se em constante mutação. Os problemas, de modo geral, fazem com que o homem, curioso e agitado naturalmente,  esteja sempre em busca de algo. Há os mais e os menos envolvidos nesta busca da qual ninguém escapa. É mais fácil achar o maior diamante do mundo, que alguém totalmente satisfeito. Existe uma fonte de problemas gerada pelo próprio homem, entre tantas outras que se chama teimosia. A rigidez, a teimosia vem a ser um verdadeiro tormento para muitas pessoas. Por exemplo: A criatura precisa ir ao médico e vai adiando… teimando. Precisa realizar uma viagem que vai resolver várias coisas e vai adiando… teimando. A vida envia mil recados, como a dizer: “Ô Companheiro, mexa-se! E o teimoso vai adiando.

         E assim, probleminhas viram problemões, que por sua vez, dão mais força ao teimoso para sê-lo. O teimoso gosta de ficar “empacado”. Não gosta de conselho, irrita-se facilmente, tornando-se problema de fato para a família e para a sociedade. Mas como na vida absolutamente nada fica parado, acabam surgindo situações que forçam a criatura ir para frente, mesmo a contra gosto. Basílio José costuma dizer que as pedras ajudam os teimosos irem em frente, quando nelas tropeçam. Isto significa que surge, inevitavelmente, pela Divina Providência, que é o amor de Deus em ação, aquelas situações chamadas “difíceis”, mas que ajudam o homem progredir. As dificuldades, os problemas na verdade, são preciosas lições em nosso caminho, para nos levar ao progresso.

         Conta-se que um encouraçado estava em alto-mar, no meio de uma tempestade, há vários dias. A visibilidade era ruim devido à cerração, e por isso o capitão permanecia na ponte, de olho em todas as atividades. Pouco depois do anoitecer, o vigia ao lado da ponte informou:

– Luz a estibordo na prôa.

– Está parada, ou vai à ré? Gritou o Capitão.

– Parada, Capitão – respondeu o vigia, e a resposta significava que o encouraçado cursava perigosa rota de colisão.

O Capitão então gritou para o sinaleiro:

– Avise aquele navio; estamos em rota de colisão, recomendo desviar de 20 graus.

O sinal foi respondido:

– Recomendo vocês desviarem de curso 20 graus.

– Transmita – disse o Capitão – Sou Capitão, desvie curso 20 graus.

– Sou Marujo de Segunda classe – veio a resposta – melhor mudar o curso 20 graus.

Àquela altura, o Capitão já furioso, vociferou:

– Transmita: Sou um encouraçado. Melhor desviar curso 20 graus.

Piscando, logo veio a resposta:

– Eu sou um farol.

O encouraçado desviou o curso.  

Helena Delphino Bragatto

Núcleo Kardecista Paz, Amor e Fraternidade.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta