Evangelização Infantil

Interessante programa sobre sobrevivência foi apresentado recentemente pela TV. Uma manada de elefantes era seguida e espreitada por leões famintos. O couro do elefante é duríssimo, verdadeiro desafio para as presas felinas, além de outras características que impõem respeito aos outros animais. Os filhotes-elefantes eram protegidos por todos, ficando entre suas pernas que formavam uma espécie de muralha móvel. Mas os leões não desistiam. Outras espécies animais desenvolvem interessantes meios de proteção à prole. É o instinto da preservação da vida, presente em todos os seres.

O homem, animal racional possui muito mais condições chamadas intelectuais, além de manter as instintivas, embora nem sempre as acione para defender sua prole. Tem o homem reencarnado duas naturezas: a física e a espiritual, sendo esta imortal. Mesmo possuindo condições de raciocinar, escolher e discernir com senso lógico, muitas vezes deixa-se conduzir pelos instintos superados, embora presentes em estado latente. Assim, em geral, valoriza mais os aspectos materiais da existência, procurando ignorar ou deixar para mais tarde o que é essencial. Como, por exemplo, a educação religiosa de seus filhos. Muitos pais dizem: eles são pequenos, quando crescerem eles escolherão o que seguir no sentido religioso. Precisamos respeitar suas opiniões. É compreensível até certo ponto, pois nesta linha de raciocínio, porque então eles não os deixa escolher também a escola, os amigos, a profissão, a namorada (o), as roupas, etc… quando crescerem?

Por quê só Deus pode ficar por último? Por quê só Deus pode esperar? Alguém conseguirá viver sem Deus?

Por quê deixar que o mundo violento e materialista plante o que quiser na cabeça de um filho, conturbando-o quem sabe por quanto tempo, quando seria tão simples e natural, falar-lhe de Deus desde os primeiros e tenros anos de vida, semeando em seu coração puro de criança idéias boas, verdadeiras sementes de luz. Falar de Deus, de suas leis, de seu amor e bondade, de todo o bem que precisamos aprender e praticar.

Não importa que religião ensinar. Todas as religiões são boas e Deus é um só. Mas formar os sentimentos infantis no sentido da religiosidade, independente de qualquer coisa material é de suma importância. A palavra religião é de origem latina e significa Religare – religar o homem a Deus. É esta a missão dos pais, no templo do lar, da família.

Ensinar, educar, exemplificar, evangelizar é a máxima demonstração de responsabilidade e maturidade espiritual.

Helena Delphino Bragatto
Núcleo Kardecista Paz, Amor e Fraternidade.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta